SAÚDE

Como evitar 80% dos cancros na sociedade ocidental? Eis 5 factores recomendados pela Associação Americana do Cancro: não fumar, comer muita fruta e vegetais e pouca carne, fazer exercício físico e manter o peso corporal.

 

8 Remédios

nutricao
exercicio
agua
sol
temperanca
ar
descanso
confianca

Recomende a um Amigo

powered_by.png, 1 kB
_CMN_PDF _CMN_PRINT _CMN_EMAIL

Digestão Dificil

“Sinto-me muito mal!!!”, disse a Sra. D. Margarida à sua médica. “Estou sempre cansada. Tentei beber mais umas chávenas de café e mais algumas colas, para ver se conseguia ter mais energia, mas o meu estômago ficou tão irritado que nem conseguia apreciar as minhas refeições. Fui então à farmácia comprar alguns medicamentos antiácidos, mas nem estes ajudaram. Tentei comer mais refeições por dia, mais pequenas, mas isso transtornou a minha digestão. Sinto-me sempre inchada. Acha que tenho uma úlcera?”

“É possível”, disse a médica, “mas duvido. Os seus sintomas são, mais provavelmente, o resultado de maltratar o seu estômago.”

“Acho que tem razão”, reflectiu a Sra. D. Margarida. “Tenho a certeza de que o café e as colas não estão a ajudar”.

“Sim, pode ter a certeza disso. Por isso, o primeiro passo a dar para que se possa sentir melhor é parar de ingerir esses irritantes do estômago. O café contém óleos aromáticos, que podem irritar as membranas sensíveis do estômago. O café, chá e muitas bebidas refrigerantes também contêm cafeína, que estimula o estômago a produzir uma quantidade excessiva de ácido. Outra fonte de irritantes para o estômago são os aditivos que se encontram em muitas bebidas.”

“Um problema ainda maior,” continuou a médica, “é a forma como muitos de nós abusamos do nosso aparelho digestivo. O estômago trabalha melhor quando recebe uma refeição e tem tempo suficiente para a trabalhar e digerir convenientemente. Depois de terminada a digestão, o estômago necessita de tempo suficiente para descansar, antes de receber a próxima refeição. Mas, muitas vezes, continuamos a ingerir alimentos antes da refeição anterior ter sido digerida, e isso vai, realmente, sobrecarregar o nosso pobre estômago!”

“Parece-me que está a querer dizer que não deveríamos comer nada entre as refeições!”, exclamou a Sra. D. Margarida. “Mas, hoje em dia, toda a gente come entre as refeições!”

“É verdade, e quase toda a gente tem problemas de indigestão, azia, irritabilidade, insónias e aumento de peso. O hábito de comer três refeições por dia, sem nada entre elas, poderia solucionar muitos desses problemas. E, para uma saúde melhor, deve haver cinco horas, pelo menos, entre as refeições.

A Sra. D. Margarida encolheu os ombros. “Tudo bem, até faz sentido! Vou experimentar. Na verdade, não tenho nada a perder.”

“Não vai ser fácil,” avisou a médica. “Mas se seguir à risca este programa, garanto-lhe que vai sentir-se muito melhor. Beba muita água entre as refeições e diga-me, daqui a 2 semanas, como é que se sente”.

 

A Digestão

Comer é um dos prazeres especiais da vida, e nós sabemos que Deus queria que saboreássemos a comida, porque Ele criou-nos com papilas gustativas para podermos apreciar o seu sabor. Existem cerca de 9000 delas, na língua humana! Mas enquanto apreciamos o sabor dos alimentos na nossa boca, quantos de nós já alguma vez pensámos no que acontece a essa comida depois de a engolirmos?

A digestão é o processo pelo qual o corpo divide os alimentos nos seus componentes. Este trabalho é feito, principalmente, por enzimas que actuam como tesouras que cortam em pequenos pedaços os grandes nutrientes. Deste modo, os hidratos de carbono podem ser transformados em glicose, as gorduras em ácidos gordos e as proteínas em amino-ácidos. O sangue pode recolher todas essas substâncias dos intestinos e transportá-las a todo o corpo.

Na verdade, a digestão dos hidratos de carbono começa na boca, enquanto mastigamos e misturamos os alimentos com a saliva, produzida pelas nossas glândulas salivares. Esse processo continua no intestino delgado. No entanto, a digestão das proteínas começa no estômago e continua nos intestinos. A gordura é digerida apenas nos intestinos.

O estômago desempenha um papel muito importante na digestão:

- divide os alimentos em pequenas partículas, agitando-os e misturando-os;

- dá a consistência necessária aos alimentos, adicionando ou absorvendo fluidos; e

- segrega ácido e enzimas, possibilitando, assim, a digestão.

Depois de deixar o estômago, a comida vai para os intestinos, onde os sucos digestivos produzidos pelo fígado e pâncreas continuam a digestão. Finalmente, os resíduos deixados pelos alimentos são canalizados para o intestino grosso e expelidos como lixo.

Muitas coisas que fazemos perturbam este funcionamento. Um dos nossos piores hábitos relaciona-se com quando comemos. O aparelho digestivo trabalha melhor, quando lhe é dado tempo para digerir uma refeição, e descansar um pouco, antes que venha a próxima.

O seguinte estudo ilustra isto muito bem: Foi dado a um grupo de estudantes de uma grande Universidade, um pequeno-almoço de cereais, torradas, fruta e 1 ovo. Após 4 horas, testes especiais mostraram que os seus estômagos estavam vazios.

Uns dias mais tarde, estes mesmos estudantes tomaram o mesmo pequeno-almoço, mas, 2 horas depois de comerem, foi-lhes dado uma sandes, ou uma fatia de bolo, ou tarte com 1 copo de leite. Cerca de 6 a 9 horas depois, parte dos pequenos-almoços ainda permanecia no estômago!

Uma outra pessoa comeu uma pequena barra de chocolate 2 vezes durante a manhã e 2 vezes à tarde. Cerca de 13 horas depois, mais de metade do pequeno-almoço estava ainda no estômago, por digerir.

Quando ingerimos mais alimentos, antes do estômago digerir a refeição anterior, o processo digestivo abranda até que a nova comida esteja processada. Se comermos demasiadas vezes, o estômago pode estar a trabalhar continuamente todo o dia e, por vezes, durante a noite.

Comer uma refeição rica em gordura, também torna a digestão lenta. Em grandes quantidades, a gordura envolve a comida no estômago, e deixa-a gordurenta. Isto impede muitas enzimas de actuarem correctamente. O estômago tem que aumentar a produção de ácido. Uma típica refeição ocidental, por causa do seu alto teor de gordura, pode precisar de 6 horas, ou mais, para sair do estômago.

Beber água ou muito liquido às refeições também atrasa a digestão. É muito melhor beber bastante água entre as refeições. Beba água pelo menos 30 minutos antes, e 2 horas ou mais depois, de cada refeição. Isto mantê-lo-á bem hidratado, e até protegido da sensação de fome que, por vezes, aparece entre as refeições.

E o que dizer de comer uma grande variedade de alimentos numa refeição?

O nosso corpo aguenta 3 ou 4 géneros de alimentos numa só refeição, mantendo a máxima eficiência e o mínimo de stresse. As grandes refeições, com muita variedade, precisam de mais tempo para a digestão, e muitas vezes deixam-nos mal dispostos, cansados e sonolentos.

Então...

O que aconteceu à Sra. D. Margarida? Terá a sua saúde melhorado com estas simples mudanças? Quando voltou à médica, estava radiante! “Após 3 dias, recuperei o meu apetite e os problemas de estômago desapareceram. Que solução tão simples! Já contei às minhas amigas.”

Marianne Ferreira
Médica

 

 
_ITEM_PREVIOUS   _ITEM_NEXT
© 2014 Associação Portuguesa de Medicina Preventiva
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.